notícias da pastoral

Indicadas duas importantes publicações sobre a meditação salesiana Pastoral
Meditações são disponibilizadas também em língua portuguesa. Confira os links direcionados na matéria

O Dicastério para a Formação da Congregação Salesiana indicou, no início da Quaresma, duas importantes publicações sobre a meditação salesiana. Confira a seguir a carta com que o Pe. Ivo Coelho, Conselheiro Geral para a Formação, apresenta os dois textos aos Inspetores e aos Delegados Inspetoriais para a Formação.

 

Caros Irmãos,

 

Sinto-me feliz por apresentar-vos com “A Prática da Meditação na Oração dos Salesianos de Dom Bosco”, fruto de um seminário organizado em Roma, de 10 a 12 de maio de 2018, pelo Setor Formação. O seminário tinha como objetivo esclarecer o lugar da meditação na tradição e na vida dos Salesianos de Dom Bosco e oferecer sugestões e orientações nesse âmbito. Pusemo-nos três perguntas fundamentais: O que é a meditação salesiana? Por que precisamos meditar? Como meditar? Ficamos admirados pelo eco surpreendentemente positivo que o seminário obteve no mundo salesiano, e não só daqueles que se ocupam da iniciação de noviços e jovens salesianos na arte da meditação. Isso nos encorajou no desejo de disponibilizar os frutos do seminário, e é o que nos faz felizes por vos oferecê-los neste momento.

 

O livro compreende, obviamente, as quatro reflexões principais apresentadas no seminário: Anotações para um “pequeno tratado” sobre a meditação nas origens da Sociedade de São Francisco de Sales, de Giuseppe Buccellato; Aprender a meditar com São Francisco de Sales, de Eunan McDonnell; A meditação como Lectio Divina, de Giuseppe M. Roggia; e Três perspectivas sobre a importância da meditação cristã, de Xabier Blanco. As reflexões foram revistas pelos autores e editadas por Giuseppe Buccellato.

 

Buccellato também editou, num texto mais breve, a contribuição intitulada “Orientações e Sugestões para a Meditação Quotidiana na Sociedade de São Francisco de Sales”. Esta segunda parte é uma ajuda para a iniciação à meditação nas primeiras fases da formação inicial. O texto pode ser utilizado com proveito tanto pelos guias da formação como por aqueles que estão a viver estas primeiras fases, mas também por aqueles que, indivíduos ou comunidades, queiram renovar o próprio modo de praticar a meia hora de meditação, parte do nosso estilo salesiano de vida.

 

O seminário foi, sem dúvida, uma experiência interessante de aprendizagem para nós que dele participamos. Ele teve início com a partilha das nossas experiências de meditação, sobre as quais as reflexões lançaram nova luz. Esse processo levou a um diálogo vivo e enriquecedor e a algumas conclusões práticas, já compartilhadas a seu tempo mediante uma carta enviada a todas as Inspetorias, que também encontrareis em apêndice a este livro.

 

Aprendemos de Buccellato que Júlio Barberis, primeiro mestre dos noviços da Congregação, dedicava o primeiro período do noviciado, sem dúvida a pedido do próprio Dom Bosco, à iniciação à meditação. Dom Bosco insistia na dimensão afetiva da meditação, abordagem que, como nos recordou Eunan McDonnell, está no centro do ensinamento de São Francisco de Sales. Por sua vez, a insistência do nosso patrono de quem tomamos o nome de Salesianos, sobre o lugar da Palavra de Deus na meditação foi “canonizada” pelo Vaticano II, como evidenciou Giuseppe M. Roggia. A atual meditação salesiana é, por isso, muito Lectio Divina: escutar, refletir, orar e deixar-se levar pela Palavra de Deus e pelo seu Espírito. Xabier Blanco levou-nos à pessoa e ao exemplo do próprio Jesus. Jesus orava porque sentia a necessidade de orar, porque amava. Hoje, o povo, inclusive os jovens, parece redescobrir a necessidade do silêncio e da oração. É o que nos disseram os próprios jovens durante o Sínodo sobre “Os Jovens, a Fé e o Discernimento Vocacional”. Os Salesianos de hoje são convidados, indubitavelmente, a dar-lhes uma resposta adequada. Quando o povo de Deus pede pão, não podemos dar-lhe pedras.

 

Caros irmãos, a prática da meditação, como Dom Bosco intuiu e insistiu, é fundamental para a nossa fidelidade vocacional e para a nossa missão. As nossas Constituições expressam-no de modo convincente: “Forma indispensável de oração é para nós a oração mental. Ela fortalece nossa intimidade com Deus, salva da rotina, conserva o coração livre e alimenta a doação ao próximo. Para Dom Bosco é garantia de alegre, perseverança na vocação” (C. 93).

 

O livro “A prática da meditação na oração dos Salesianos de Dom Bosco” está disponibilizado por enquanto em formato digital. Isso não exclui, absolutamente, a possibilidade que alguma Inspetoria ou Região optem pela sua impressão, embora isso comporte obviamente uma nova revisão do texto. Como o material incluído no livro é original, não há necessidade de solicitar direitos de autor, bastará indicar as vossas intenções ao Setor Formação aqui na Sede Central. Espero que este trabalho sirva para despertar um renovado interesse e apreço pela dimensão muito importante da oração salesiana que é a nossa meditação quotidiana. O tempo da Quaresma que estamos iniciando é um tempo favorável para a escuta e a meditação da Palavra, que nos chama e nos leva à conversão.

 

Renovo um caloroso agradecimento a todos os que contribuíram para o seminário: os nossos quatro colaboradores Giuseppe Buccellato, Eunan McDonnell, Giuseppe M. Roggia e Xabier Blanco; o nosso editor Giuseppe Buccellato; os muitos irmãos que ajudaram nas traduções; os membros do Setor Formação, particularmente Silvio Roggia que foi a força motriz para recolher as contribuições, cuidar das traduções e levar a termo todo o projeto.

 

Com afeto,

Ivo Coelho, SDB

 

Fonte: ANS