notícias da pastoral

O Nascimento do Oratório Festivo Pastoral
De um encontro peculiar nasce uma missão mundial em prol da juventude, que ainda hoje vai muito além do que Dom Bosco pôde imaginar em vida

Há 179 anos atrás, no dia 08 de dezembro de 1841, dia da Imaculada Conceição de Maria, Dom Bosco conhece um jovem na sacristia da Igreja de S. Francisco de Assis, encontro este que daria início à maior obra de sua vida: a Congregação Salesiana. Naquele dia, José Comotti, o sacristão da igreja, procurava um jovem para ajudar nas atividades da Missa. Escondido na entrada da sacristia, ele encontrou Bartolomeu Garelli, um jovem que entrou ali curioso, mas envergonhado, cheio de frio e sem coragem para assistir à Eucaristia dentro da igreja. O sacristão queria obrigá-lo a ajudar com a Missa, mas Bartolomeu disse-lhe que não sabia como fazer. Os dois discutiram e Comotti expulsou o menino com violência da igreja. Dom Bosco percebe a situação e intervém:

 

- Amigo, como te chamas?

Perguntou-lhe em tom amigável.

 

- Bartolomeu Garelli.

Respondeu-lhe o jovem.

 

Dom Bosco reconhece a mesma miséria naquele rapaz que já vira em tantos outros nas ruas de Turim. Alguns deles sem família por perto e sem trabalho, outros órfãos. Neste momento, começa a estruturar-se em sua mente a ideia de criar um espaço onde os jovens pudessem sentir-se acolhidos, não só aos domingos para a catequese, mas durante a semana também, nascendo assim os primeiros pensamentos de criação do oratório salesiano. Ainda neste dia, ali mesmo na sacristia, ao final da Missa, Dom Bosco dá a primeira catequese a Bartolomeu, rezando com ele uma Ave-Maria e ensina-o a fazer o sinal da cruz, pois o menino, nem isto sabia fazer.

 

No domingo seguinte, com Bartolomeu, vieram mais oito crianças. Não vinham à igreja, vinham procurar Dom Bosco, fazendo nascer assim o Oratório Festivo. As necessidades destes jovens eram muitas: espirituais, económicas, afetivas, de instrução, entre diversas outras. Porém, em poucos anos, a obra do Pai e Mestre da Juventude passa de algumas salas alugadas para edifícios construídos que acolhem cada vez mais alunos como aquele primeiro: Bartolomeu Garelli.

 

Fonte: RSB-Comunciação, com informações dos saleisnos.pt