notícias da pastoral

Uma raridade é encontrada nas terras de Dom Bosco Geral
Gravação de 1910 é encontrada e mostra o cortejo do funeral de Pe. Miguel Rua, primeiro sucessor de Dom Bosco na Congregação Salesiana

Difícil de acreditar: um filme salesiano de 110 anos! Não se trata de fake news (notícia falsa), mas de um furo de reportagem! Entre os arquivos fotográficos salesianos que foram enviados ao Museu do Cinema de Turim e ao Arquivo Nacional do Cinema Corporativo (CSC) para restauração, surgiu um pequeno tesouro: um comovente filme mudo de oito minutos, em preto e branco, que exibe os momentos marcantes do funeral do Pe. Miguel Rua (6-9 de abril de 1910). A filmagem foi feita por meio de um posicionamento inteligente das câmeras em diversos pontos de Valdocco, da Praça Maria Auxiliadora e dos arredores.

 

O funeral de Dom Bosco em 1888 foi memorável, de tão universal que era a fama de sua santidade; mas o do Pe. Rua não ficou atrás, de acordo com as imagens do filme, mais eloquentes do que tantas palavras. Os pequenos aposentos de Dom Bosco e do Pe. Rua, as várias igrejas de Valdocco, as arcadas da época, os pátios, a entrada e, obviamente, as figuras e os rostos dos primeiros salesianos, falam por si: o Pe. Felipe Rinaldi aparece com as vestes sacerdotais ao lado do Secretário do Capítulo Superior (o conhecido Pe. Giovanni Battista Lemoyne), os Conselheiros Pe. Barberis, Pe. Albera, Pe. Cerruti, Pe. Piscetta, Pe. Francesia e muitos outros salesianos daquela primeira fase. Na igreja de Maria Auxiliadora, eles acompanham o funeral solene de seu segundo pai, Pe. Rua, aquele que caminhava com Dom Bosco e que agora se juntava a ele no Céu.

 

Em seguida, pode-se acompanhar o cortejo fúnebre pelas ruas próximas e o retorno à igreja: jovens erguendo faixas, associações e irmandades, clérigos, nobres, notáveis, autoridades, cinco bispos, superiores, ex-alunos, eclesiásticos e leigos e uma multidão imensa formando uma ala ao longo da avenida Regina Margherita. Se as imagens por vezes tremem, devido às restrições técnicas da época, o filme necessariamente representa um movimento em si: a carruagem da Princesa Letizia de Saboia enquanto sai de Valdocco e é saudada pelos mais conceituados salesianos, os transeuntes que atravessam a avenida Regina Margherita para cortejar a passagem do caixão, as carruagens puxadas por cavalos que vão e vêm, os carros, os bondes... Enfim, um belíssimo registro de 1910, de uma tarde ensolarada de abril em Turim, que termina com a colocação do caixão no lóculo, no dia seguinte, na parede direita do túmulo de Dom Bosco, em Valsalice.

 

Se a cidade de Turim o reconheceu não somente como ilustre concidadão mas também como digno sucessor de Dom Bosco, capaz de manter inalterada a fama da obra salesiana, pode-se apenas expressar grande admiração e gratidão aos salesianos da época por sua intuição em promover estas imagens que hoje chega a todos. Nos primórdios do cinema, eles já estavam "na vanguarda do progresso".

 

Para conferir o vídeo, clique aqui.

 

Fonte: ANS