notícias da pastoral

A história da Jornada Mundial da Juventude Pastoral
Jornada Mundial da Juventude

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um encontro de jovens de todo o mundo com o Papa, em um ambiente festivo, religioso e cultural, que mostra o dinamismo da Igreja e dá testemunho da atualidade da mensagem de Jesus. “É muito mais do que um acontecimento. É um tempo de profunda renovação espiritual, de cujos frutos se beneficia toda a sociedade” (Bento XVI). Trata-se de um meio extraordinário de evangelização para fortalecer a pastoral juvenil. Realiza-se a cada três anos, tendo a última acontecido na cidade de Cracóvia em 2016.

 

Qual é o objetivo da JMJ?

 

O fundador e primeiro promotor da JMJ foi São João Paulo II. A ideia do evento foi concebida com o objetivo de favorecer o encontro pessoal com Cristo, que muda a vida, e promover a paz, a unidade e a fraternidade dos povos e das nações através da juventude como embaixadora; além de desenvolver processos de nova evangelização destinada aos jovens.

 

Encontros “teste”

 

Os primeiros dois encontros, em 1984 e 1985, organizados por ocasião do Ano Santo da Redenção (1983-1984) e do Ano Internacional da Juventude (1985) não podem ser chamados de Jornada Mundial da Juventude; no entanto, foram os primeiros encontros que serviram de base para que o Papa tomasse essa iniciativa abençoada, que dura até o dia de hoje.

 

Início da JMJ

 

A JMJ foi instituída em 20 de dezembro de 1985. Durante um encontro de Natal, São João Paulo II disse aos cardeais e membros da cúria romana que queria que a JMJ acontecesse todos os anos no Domingo de Ramos como um encontro de dioceses e também a cada dois ou três anos como um encontro internacional, em um lugar estabelecido por ele.

 

Duração da Jornada Mundial da Juventude

 

A JMJ é um encontro que dura vários dias e, atualmente, tem duas partes: a primeira é chamada de “Dias nas Dioceses”. Nessa etapa os jovens vão a diversas regiões do país, sendo que na Jornada Mundial da Juventude 2019 também visitarão outros países da América Central. Nesses dias que antecedem a JMJ, os peregrinos convivem com as famílias que os acolhem e se aprofundam na fé através de atividades dentro das comunidades com as quais convivem. A segunda parte é chamada de “Atos Centrais”, ou seja, as atividades programadas na cidade principal, que incluem o Festival da Juventude, atividades de catequese, música, arte e encontros espirituais com o Santo Padre. Também muitos bispos, sacerdotes, religiosos, consagrados, clérigos, noviços e professores leigos participam dos encontros com os jovens, promovendo a aproximação entre leigos e consagrados religiosos.

 

Clique aqui e assista o vídeo oficial da história da JMJ.

 

Fonte: Site oficial da JMJ 2019