notícias da pastoral

II ENRPJ: um olhar histórico sobre a realidade juvenil Geral
Fonte: Com informações dos Jovens Conectados e da Inspetoria Salesiana do Nordeste.

Aconteceu entre os dias 7 e 9 de setembro, no Colégio Dom Bosco, em Brasília-DF, o II Encontro Nacional de Revitalização da Pastoral Juvenil, com a participação de cerva de 300 pessoas.

 

Os jovens e assessores tiveram a oportunidade de ver a caminhada da juventude nos diversos regionais, e a partir da realidade juvenil diagnosticar o caminho percorrido até aqui. Para Katyuscia Dantas, da Diocese de Caicó-RN, representante do Setor Juventude, esse momento suscitou ainda mais o desejo de renovar o amor pela juventude. “Tendo em vista que desde o I ENRPJ, realizado em 2013, levamos para a diocese a importância do acompanhamento, durante esses anos visitamos as comunidades, paróquias. Como setor de juventude, anualmente fazemos encontros com as lideranças, temos uma preocupação com a formação desses jovens, respeitando a diversidade de carismas e, junto com eles, estamos construindo soluções para os problemas e desafios. As discussões de hoje me fizeram perceber o quanto estamos no caminho certo e podemos nos fortalecer ainda mais em nossa missão. Através do nosso acolhimento, a juventude será fortalecida”, ressaltou.

 

"Protagonismo" foi uma das palavras mais usadas durante as partilhas sobre as 8 linhas de ação do Doc. 85 – Evangelização da Juventude, Desafios e Perspectivas. Em muitos regionais a força jovem sustenta os trabalhos. Foram discutidos também a importância da vocação ao Ministério da Assessoria, perfil dos assessores adultos e o investimento nas causas da Juventude. Constatou-se que essas linhas de ação ainda são uma urgência Pastoral e o Doc. 85, que está completando 10 anos de história, precisa ser um livro de cabeceira para quem realiza esse trabalho de acompanhamento juvenil.

 

Os participantes debateram também o Projeto Rota 300, que nasceu como gesto concreto após a Jornada Mundial da Juventude (em 2013, no Rio de Janeiro) e o Projeto Trienal para os anos de 2018 a 2020.

 

Traçando novas metas

 

No segundo dia do II ENRPJ, após a plenária da manhã e a Santa Missa presidida por Dom Nelson, foram divididos os grupos por regionais para debater e suscitar as novas propostas nas áreas: social, ecológica e políticas públicas. Dom Vilsom Basso deu as orientações práticas e destacou também o tema da Campanha da Fraternidade em 2019 sobre as Políticas Públicas. “O período da manhã foi para confirmar a caminhada e as estruturas de acompanhamento, agora é hora de dar espaço às novas propostas a serem trabalhadas”, afirmou o presidente da Comissão para a Juventude.

 

Uma das propostas levantadas pelo Regional Sul 2 foi a criação de um conselho da juventude envolvendo o estudo e a presença da Igreja também nesses espaços para buscar melhorias. E, ainda, proporcionar aos jovens mais oportunidades para estudar a Doutrina Social da Igreja, para incentivar que gostem de política e também para que entendam a diferença entre política e “politicagem”.

 

Para os grupso Leste 1 e 2, uma iniciativa bastante importante é o incentivo ao novo projeto de vida, com ações práticas no dia a dia, que mudem o comportamento, como, por exemplo, a consciência de que não é necessário tomar vários banhos demorados por dia, gastando com isso milhares de litros de água. Foram citadas diversas ações também na dimensão ecológica, reforçando que o jovem precisa entender que o meio ambiente é onde ele vive.

 

Os regionais Nordeste 1 e Nordeste  4 discutiram o uso de agrotóxicos e a prática de queimadas por agricultores na região e indicaram que o processo de mudança precisa e deve começar com jovens e crianças por meio do incentivo e bons exemplos, além da conscientização e do envolvimento de todas as pastorais e movimentos jovens. Foram abordadas a necessidade de formações e a implantação de políticas públicas como a coleta seletiva também nas igrejas com visitas às casas para orientar os moradores sobre como separar os materiais. Todas as propostas foram apresentadas em plenária com os 3 pontos mais relevantes discutidos nos grupos.

 

Carta compromisso

 

Como uma atitude concreta diante das perspectivas abordadas, foi elaborada uma carta compromisso, dirigida aos jovens de todo o Brasil. Sob a coordenação de Dom Nelson, foi escolhida uma equipe formada por três participantes do II ENRPJ que, juntos, expressaram os sentimentos fortes de todo o evento.

 

“O Encontro representou uma oportunidade da Igreja do Brasil reafirmar a opção afetiva e efetiva pela juventude. Um acontecimento marcante para a presença dos salesianos e das salesianas reafirmarem o carisma junto aos jovens”, relatou o Pe. Antônio Gomes (sdb), responsável pela reflexão da linha Formação Integral e coordenador do grupo Regional Nordeste 2.

 

Confira a carta compromisso escrita pelos jovens aqui