ajs

Saiba mais sobre a Articulação da Juventude Salesiana

Nossa História

Na origem da história salesiana, em nossa tradição, encontramos o amor de predileção de Dom Bosco e Maria Mazzarello pela juventude pobre e atenção às classes populares. Eles deixaram como missão para seus seguidores, trabalhar pela educação e evangelização da juventude, sobretudo aquela que se encontra em maior situação de perigo. Na fidelidade à esta tradição, nasceu na Europa o Movimento Juvenil Salesiano – MJS. No Brasil ele adquiriu o nome de Articulação da Juventude Salesiana – AJS.No Brasil, a AJS foi lançada oficialmente em 1998, no segundo Congresso Nacional de Lideranças Juvenis Salesianas acontecido em São Paulo. As reflexões, experiências e testemunhos partilhados em vários Encontros nacionais, os estudos feitos pela Equipe Interispetorial de Pastoral Juvenil Salesiana, e as experiências positivas de organização nas Inspetorias de Recife e Porto Alegre foram fundamentais para o nascimento da AJS no Brasil. 

Associacionismo

É uma das dimensões mais importantes da PJS  que acontecem no Brasil salesiano, considerando as diversas realidades regionais  com suas expressões peculiares. É uma experiência  associativa, onde os  jovens organizam- se em  de grupos de interesse. O grupo, portanto, é um lugar de crescimento, de amadurecimento, de formação, de realização pessoal e comunitária porque cria laços profundos de fraternidade, onde cada um é reconhecido como pessoa e valorizado como tal. Permite ao jovem partilhar critérios, valores, visões e pontos de vista em relação a si, aos outros e ao mundo que o rodeia.

Protagonismo Juvenil

A adolescência e juventude são fases favoráveis para desenvolver o protagonismo juvenil salesiano, que é o imenso potencial de bem  e as possibilidades criativas, próprias dessas fases da existência, a serviço de escolhas corajosas, que respondam aos questionamentos sobre o sentido da vida. No serviço aos mais pobres, os jovens podem  manifestar a própria cidadania evangélica e preparar-se para intervir na sociedade como pessoas reflexivas, responsáveis e promotoras de justiça e da paz. 

Conselho Nacional da AJS

O Conselho Nacional da Articulação  da Juventude Salesiana é constituído, portanto, por 01 jovem representante de cada Inspetoria FMA/SDB que são articuladores referentes em âmbito inspetorial e nacional é  instituído para fortalecer o trabalho de articulação e evangelização dos jovens, com a Espiritualidade Juvenil Salesiana.

Mais Detalhes

Características

Articulação de grupos autônomos, que têm organização, metodologia e objetivos próprios.
Está em sintonia com as orientações da PJ da Igreja do Brasil e se insere nas iniciativas da PJ local.
Tem como inspiração sustentadora os valores e crenças da espiritualidade juvenil salesiana.
Possui uma estrutura de organização que busca combinar a animação orgânica (em nível nacional, regional e local) com a autonomia de cada grupo.

 

O que se quer proporcionar

Experiência dos valores da espiritualidade salesiana;
Processo de crescimento humano e de formação da fé cristã;
Vivência das relações interpessoais e intergrupais;
Desenvolvimento das potencialidades pessoais, convicções e valores.
Oportunidade de inserção do jovem como membro ativo e atuante em seu ambiente;

 

Como nos organizamos

Coordenação local (de obra ou presença);
Coordenação regional;
Coordenação inspetorial/interinspetorial; 
Coordenação Nacional da Pastoral Juvenil Salesiana;

AJS e PJ do Brasil: contribuições mútuas

Inseridos e sintonizados com a Igreja, estamos atentos e comungamos com aquilo que a Igreja do Brasil nos orienta a respeito dos jovens. A PJ do Brasil é a voz oficial da CNBB para o trabalho com os jovens. É necessário que a AJS esteja integrada e em sintonia com as orientações da Igreja do Brasil para a pastoral da juventude.

O carisma salesiano oferece contribuições entre as quais:

o humanismo otimista,
a visão positiva da vida,
a acolhida ao progresso,
a postura crítica diante dos MCS,
a presença salesiana estimuladora e educativa no meio dos jovens,
a descoberta e o investimento nas potencialidades juvenis,
a acolhida e o relacionamento pessoal do educador-pastor com o destinatário,
a afetividade marcada pelo carinho,
a simplicidade e a praticidade salesianas,
a espiritualidade do cotidiano,
o caráter preventivo do sistema educativo,
a diversidade de propostas e estilos de vida em grupo,
a organização de ambientes ricos em propostas educativas,
o caráter educativo de um ambiente físico,
a experiência em se trabalhar em equipe (CEP) e em se planejar a ação pastoral (PEPS).

 



Membros da   AJS

Ana Clara Barbosa CaetanoCoordenadora do CNAJS, Inspetoria Santa Catarina de Sena – SP (FMA)

Mariana Aparecida de Almeida SouzaVice Coordenadora do CNAJS, Inspetoria Nossa Senhora da Penha – RJ (FMA)

Amanda Caroline RibeiroSecretária do CNAJS, Inspetoria Nossa Senhora Aparecida (FMA)

João Batista Dantas JuniorComunicação do CNAJS, Inspetoria Nossa Senhora Auxiliadora – SP

Tiago da Silva BragaTesoureiro do CNAJS, Inspetoria São Domingos Sávio – AM (SDB)

Pâmela Rodrigues de SousaConselheira Inspetoria Madre Mazzarello - MG

Elaine De Moraes FerreiraConselheira Inspetoria Nossa Senhora da Paz – MT

Thayza Rodrigues MarinhoConselheira Inspetoria Imaculada Auxiliadora – MS

Eduardo Rogério SchmitzConselheiro Inspetoria São Pio X

Wellington Gonçalves PereiraConselheiro Inspetoria Santo Afonso Maria de Ligório – MS

Larissa Cristina da Silva CunhaConselheira Inspetoria São João Bosco – BH (SDB)

Arianne Nobre BarbozaConselheira Inspetoria São Luiz Gonzaga – PE (SDB)

Luis Eduardo dos Santos LopesConselheiro Inspetoria Laura Vicuña – AM (FMA)

Carlos Eduardo Coutinho de Rezende AciolyConselheiro Inspetoria Maria Auxiliadora – PE (FMA)